Glaucoma

Glaucoma

Perda de células da retina responsáveis por enviar os impulsos nervosos ao cérebro. Um dos sintomas iniciais é a perda da visão periférica. Se não for tratado, leva ao dano permanente do disco óptico da retina, podendo progredir para cegueira.

A cirurgia anti-glaucomatosa é um procedimento realizado nos olhos que tem como objetivo a drenagem e a diminuição da pressão intraocular (principal sintoma do glaucoma), evitando, assim, lesões graves ao nervo óptico.

Em quais casos a cirurgia é indicada?

Quando não há um controle adequado da doença (glaucoma) com o uso de colírios, ou quando esses não são tolerados pelo paciente. O procedimento tem como objetivo a redução da pressão intraocular, e não a melhora da acuidade visual.

Como é feita a cirurgia?

Existem diversos tipos de procedimentos, como: trabeculectomia, implante valvular e ciclocrioterapia. Todos esses são realizados sob anestesia local.

A trabeculectomia consiste na criação de uma fistula para drenagem do líquido interno do globo ocular (humor aquoso), direcionando-o para uma bolha externa. Desta forma, o excesso de líquido é escoado pela válvula, quando a pressão atinge níveis acima do ideal.

No implante valvular, é colocada uma válvula sob a conjuntiva, e esta se abre quando a pressão ultrapassa o nível ideal.

Já a ciclocrioterapia consiste na destruição parcial do corpo ciliar, que é a estrutura ocular responsável pela produção do líquido interno do olho (humor aquoso), resultando em queda da pressão. É indicada nos casos mais avançados, onde a acuidade visual está severamente prejudicada, e o paciente apresenta dor ocular e níveis pressóricos elevados.

Considerada a principal causa de cegueira no mundo pela OMS, o glaucoma é uma doença crônica e progressiva que afeta diretamente o nervo óptico, causada principalmente por uma pressão intraocular elevada. Ela costuma ocorrer com mais frequência a partir dos 40 anos.
Principais sintomas: a doença é assintomática no início, sendo perceptível apenas quando começa a prejudicar a visão periférica do paciente. Nos estágios mais avançados, podem ocorrer dor nos olhos e na cabeça, e visão baixa, escurecida ou turva.
O Glaucoma pode levar à cegueira? Sim, mas é possível evitá-la consultando-se regularmente com um oftalmologista para que se inicie o tratamento correto precocemente.
Tem cura? Não, mas é possível estabilizar a doença. Quanto antes for feito o diagnóstico, mais eficaz será o tratamento.
Tratamento: O tratamento do glaucoma vai ser definido com base no tipo e estágio em que a doença se encontra. No início, podem ser prescritos o uso de colírios e/ou medicamentos específicos, e nos casos mais avançados, a cirurgia ocular.