Alergia ocular e tempo seco

Saiba que os olhos podem ficar mais suscetíveis a alergias neste período

 

São Paulo, junho de 2022 – O clima seco resulta em consequências ruins para a saúde ocular, com menor lubrificação dos olhos, aumentando o número de pacientes com sintomas, como coceira, olhos vermelhos, síndrome do olho seco, alergia ocular e conjuntivite.

 

O oftalmologista Dr. Pablo Rodrigues destaca que isso ocorre porque os olhos apresentam uma membrana que fica mais exposta e, ao entrar em contato com certas substâncias, é possível que desenvolva algum tipo de alergia. “Elas se caracterizam como reações alérgicas que provocam uma resposta do sistema imunológico a uma determinada substância, que chamamos de alérgeno, e podem ser: pelo de animal, poeira, exposição à fumaça ou perfume, pólen, ácaros, tintas, entre outros”, informa o médico.

 

Segundo o Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), a alergia ocular atinge de 15 a 20% da população mundial, afetando as pálpebras e a córnea. Rodrigues informa ainda que pessoas com sinusite, rinite e asma apresentam maiores chances de desenvolver algum tipo de alergia ocular e alerta para ficarem atentos aos seguintes sintomas, que podem indicar o problema:

 

– Olhos vermelhos;

– Inchaço;

– Coceira;

– Lacrimejamento;

– Sensibilidade à luz;

– E outros sinais, como nariz entupido, espirros e coriza.

 

O tratamento em caso de ressecamento dos olhos é feito com o uso de colírios lubrificantes específicos e medicações receitadas pelo médico oftalmologista.

 

Por isso, anote algumas dicas importantes:

 

1) Evite coçar os olhos;

2) Utilize compressas para minimizar as coceiras;

3) Não esqueça de retirar as lentes de contato antes de dormir;

4) Faça uso de toalha molhada ou umidificadores de ar para tornar o ambiente mais úmido;

5) Beba ao menos 2 litros de água por dia;

6) Mantenha a casa limpa e arejada.

 

Ceratocone e o aparecimento de alergias

O ceratocone é uma doença não inflamatória que afeta a estrutura da córnea, projetando-a mais para frente, formando uma saliência em forma de cone, o que pode levar ao comprometimento da visão.

 

O aparecimento de alergias é um grande fator de piora ao ceratocone, porque o hábito de coçar os olhos atua de forma similar ao uso de lentes mal ajustadas, ou seja, é tão prejudicial quanto. Você sabia que cerca de 6 em cada 10 pacientes alérgicos manifestam problemas nos olhos?

 

Segundo a Organização Mundial da Saúde, a estimativa é que 30% dos brasileiros têm algum tipo de alergia e desse total pelo menos metade desenvolve alergia nos olhos, grande fator de risco do ceratocone.

 

Por isso é importante ficar atento às alergias, casos na família, alterações hormonais e outros fatores que contribuem para o diagnóstico precoce de condições como o ceratocone.

 

Consulte o oftalmologista!

 

Dr. Pablo Rodrigues é oftalmologista na Clinic Spot.

Especialista em Córnea, Doenças Externas e Lentes de Contato pelo Departamento de Oftalmologia da FMUSP-SP;

Especialista em córnea pela UNIFESP;

Preceptor no setor de Córnea e doenças externas e Óptica cirúrgica na UNIFESP e voluntário na ONG Expedicionários da Saúde.

 

Redes sociais Dr. Pablo Rodrigues

Instagram @pablorodriguesoftalmo

Facebook/pablorodriguesoftalmo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.